terça-feira, 25 de julho de 2006

Numa noite de verão

Hoje, perto da casa de um amigo meu, vi umas crianças a brincar na rua e deu-me uma saudade enorme desses maravilhosos momentos.

Ser criança tem mil encantos. É cheio de aventura, de ousadia, de alegria e de emoção.

Lembro-me quando descia à rua naquelas noites quentes. Noites de t-shirt e calção. Noites de escondidas e de apanhada. Noites de primeiros amores. Noites de slows agarradinhos na garagem de um amigo. Noites de gelado na esplanada. Noites de uns cigarros inocentes, de umas cervejas amargas, de uns cafés inexperientes, noites de pão com chouriço ou de bolos de canela.

E como era bom caminhar pelas ruas, ao lado da lua, pelas ruas vazias, a rir dos disparates de se ser criança ou adolescente.

Naqueles momentos não há complicação, não há stress, não há dor, não há responsabilidade.

Havia música, e segredos, e amigos, e crescimentos cheios de aventura.

Gosto das noites de verão!