quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

A sequência dos acontecimentos

Hoje, no almoço com um amigo querido, fui confrontado com um tema a que tenho particular interesse: a forma como os acontecimentos da nossa vida se interligam e relacionam.

Estivemos a falar um pouco sobre isso e achei que valia deixar aqui a informação só a título de curiosidade para ver o que acham suas excelências.

Acontecimentos, intervenientes e decisão:

A - Fim de semana no Alentejo, proposto por AC, aceite por BR, MA, JP e AC.

B – Nesse fim de semana, hipótese de ir à festa do Avante, proposta por BR e MA, aceite por BR, MA e JP.

C - Na festa do Avante, vontade impulsiva de ir à barraca da Madeira jantar, por parte de BR, aceite por BR, MA e JP.

D – AR que estava com a família tem vontade impulsiva de ir à barraca da Madeira Jantar.

E – AR e JP encontram-se pela primeira vez em muitos anos.

F – AR e JP começam a sair.

Etc… etc… etc… (Isto é uma versão obviamente simplificada dos acontecimentos ocorridos)

Podia ficar aqui prolongadamente a dissertar sobre cada uma das escolhas e ocorrências. No facto de que um sim ou um não poderiam ter mudado tudo. No entanto, acho que daqui posso tirar duas conclusões: a primeira é que o que acontece tem mesmo que acontecer, porque numa miríade de possibilidades é isto que acontece e que poderia não acontecer; em segundo, que realmente há alguém ou algo com sentido de humor lá em cima, que nos aproxima ou afasta das coisas.


Esta coisa de se viver é bem divertida.