sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Já somos 1000


Quando comecei a fazer este blog, logo desde os primeiros posts, um dos meus amigos perguntava-me: "Qual a razão para teres criado este blog? Já pensaste nisso? Para que serve?"

Na altura não me apeteceu estar a fazer uma análise sobre a razão de ser de um blog: porque escrevemos, porque o tornamos público, e porque escolhemos os conteúdos que escolhemos.

Fui só avançando com o meu blog, escrevendo alguns textos mais personalizados, usando por vezes o humor para alegrar o espírito, discutindo temas sociais, mais ou menos interessantes. No fundo dando movimento e alimento a este projecto com a força típica daqueles projectos que, quando começam, nos viciam, nos deliciam, nos enchem de esperança e de sonhos.

Mas acho que agora que já passaram mais de 1000 visitas pelo meu blogzito chegou a altura de vos oferecer a minha reflexão sobre a razão de ser deste “Bom Tempo no Canal”.

Um blog, na minha opinião, seja público ou privado, serve dois propósitos: a vontade de escrever, e a vontade de se ser lido. Não se pode negar a força do ego. Se realmente não quiséssemos que nos lessem, que descobrissem o que escrevemos, então usávamos o word e guardávamos os documentos numa pastinha chamada "Confissões de um pré-adulto ou um pós-adolescente".

Se vimos aqui à Internet, procurar um espaço, dar-lhe forma e preenchê-lo è porque necessitamos dessa atenção. Porque a procuramos. E por isso, caríssimo leitor, é importante para mim, que me leia, que me comente, que me dê a sua opinião.

No entanto, para além dessas razões comuns a todos os que usam e escrevem para um blog, tenho as minhas razões próprias, que são também interligadas com a forma deste recurso tecnológico.

Acho que tenho algo a dizer, uma opinião e um sentido sobre as coisas, que foge, por vezes mais, por vezes menos, da visão geral e comum que a sociedade tem sobre esses mesmos temas. E no fundo gosto de questionar, de levantar dúvidas, que me ajudem a pensar, e que também ajudem os outros. Julgo que esse é o maior desafio do meu blog e das coisas que escrevo. Ser capaz de vos tocar, de vos fazer sentir e pensar. Procurar encontrar outras coisas que vão para lá do evidente, ou que me ajudem a ver para além do que fui capaz.

O blog não é propriamente um espaço de diálogo de minorias, ou de criativos, de indivíduos ou organizações. Um blog é um espaço de expressão quase plástica daquilo que somos e representamos.

Nesse sentido este blog também é muito "eu". Coisas melhores, coisas piores, silêncios e expressões. Milhares de momentos diferentes que me caracterizam como pessoa complexa e diversificada que sou.

E por isso convido-vos, como tantas vezes o fiz, a olharem para este espaço, para estes textos e deixarem aqui a vossa marca. A vossa esperança, a vossa alegria, a vossa dúvida são-me valiosas. Não somos nada sem os outros.

"If life gives you rags, make quilts", mas na realidade, muitas vezes são os outros, esse mundo maravilhoso que nos rodeia, que nos dá o fio e a agulha para cozer esses trapos.

Obrigado e já agora FELIZ NATAL!