quarta-feira, 4 de janeiro de 2006

Acredito no Amor

Acredito no Amor!
Não como uma suposição, não como uma crença ou superstição.
Acredito no Amor!
Acredito no olhar das crianças, no cheiro das flores, no sol quente no peito.
Acredito no nascer do dia, na lua a brilhar no céu, e naquele cheiro a fresco no ar.
Acredito no dar as mãos e no sorrir. Acredito na saudade e na esperança.
Acredito no mais e no melhor. Acredito sempre que podemos se quisermos.
Acredito no Amor!
Quando olho para o que se passou e para o que virá...
Acredito na vontade, acredito nos abraços e nos amigos.
Acredito na força e no silêncio.
Acredito no Amor!
Acredito que sou o mundo. Acredito no mundo. Acredito em ti.
Acredito no Amor!
O sol pode brilhar, ou pode chover. Posso ter ou não ter dinheiro.
Posso me sentir forte ou cansado. Alegre ou triste. Confiante ou desmoralizado.
Posso sentir-me só ou rodeado de amigos. Posso estar no meu melhor ou no pior.
Posso conseguir ou até falhar. Posso ser capaz ou não de amar.
Mas acima de tudo: Acredito no AMOR!