segunda-feira, 5 de setembro de 2005

Tudo Arrumadinho

Gosto muito de gavetas, sempre gostei. Aquele cheiro de madeira, os forros de papel colorido, os saquinhos com lavanda. Gosto de gavetas: de cuecas, de meias ou de t-shirts. Gosto das que têm papel e canetas coloridas, ou das que guardam as cartas e os postais das viagens. Gosto das que guardam os bilhetes que vamos reunindo com o tempo.

São úteis e são práticas. Julgo que quem pensou: "eh pá, e se neste armário eu metesse umas coisas que dessem para puxar e voltar a meter para dentro, onde se pudesse pôr tudo e mais alguma coisa, arrumar coisas, que bela ideia seria"; era realmente um génio.

Gosto de gavetas: aquelas que guardavam os chocolates em casa da avó e que depois de almoço podíamos ir buscar, as gavetas com os talheres de prata, ou com os guardanapos brancos. Gosto de gavetas.

Mas se calhar a moda pegou demais. A necessidade de deixar tudo ordenado, no sítio, tudo bem posto e organizado. Se calhar a moda pegou. E agora as pessoas arrumam tudo, mas mesmo TUDO. E se na parte dos bens materiais não me faz confusão, na parte dos sentimentos, das emoções, deixa-me bastante apreensivo.

"Amigos, para aqui. Namorados, acolá na gaveta de baixo. Os chatos, vão para ali."

As pessoas gostam tanto de arrumar que colocam tudo lá. Coisas boas e coisas más, alegrias e tristezas, amigos e inimigos, chefes e empregados, aventuras e incidentes, família, vizinhos, donos de café e tudo o mais que lá couber. E do lado de fora coloca-se um papelinho rectangular com o título da gaveta só para não se baralharem muito.

Claro que ás vezes é difícil arrumar algumas coisas: "Gosto dele, então vai para aqui; espera, mas ele ás vezes é tão chato, se calhar é melhor pôr ali; mas ele tem uns olhinhos, vai mas é para esta." E outras vezes é mais difícil de identificar:"Esta vai para o baú dos 'não faço nem ideia' ".

Gosto de gavetas, mas acho que já estamos a exagerar: ele é velho, ele é mau, ela é chata, ele é pequeno, ela é preguiçosa, ele é mariquinhas. Se calhar já chega. Já CHEGA!

Usar gavetas é óptimo, serve para muita coisa material. Mas o resto, sinceramente, não o arrumem, deixem-no sempre a jeito. E a cada instante olhem para o outro sem rótulos, e sem gavetas.

Afinal até pode acontecer que não caibam lá dentro, e depois? Já pensaram no trabalho que dá?